Fazendo arte em casa

Como a maioria de nós, Caça ao Leão, de Vassily Kandinsky, está em “quarentena” no Guggenheim, na cidade de Nova York. Enquanto o museu está fechado, eis aqui uma atividade baseada nesta pequena jóia, que pode ser feita em casa. Embora seja uma tela do início da carreira, figurativa, e portanto tenha uma cena facilmente identificável, cores e ritmos estão começando a dominar a composição, nessa inter-relação evocativa entre cor e forma que Kandinsky veio a dominar no auge da carreira. Uma grande variedade de questões pode surgir durante a discussão da tela com os pequenos, do uso de cores e formas para transmitir ideias e emoções às diferentes técnicas utilizadas. Independentemente do conhecimento prévio e da exposição anterior das crianças à arte, essa pintura sempre rende discussões interessantes.

Antes de começar, aqui estão alguns lembretes importantes: esse é um convite para envolver crianças e adultos em uma atividade divertida, que vai unir a família. Ao longo do caminho, há várias etapas intencionais (algumas delas na forma de pergunta) concebidas para estimular a interação e a discussão sobre a obra em questão e sobre procedimentos de artistas. A atividade começa com um desenho. A intenção é expor as crianças a uma prática comum entre os artistas: a problematização, ou seja, deixá-las enfrentar o mesmo problema que o artista antes de ver as soluções que ele/a concebeu – neste caso, a representação de animais. Pode parecer intimidador, mas é uma estratégia testada e aprovada.

Mãos à obra! Divirta-se e assine a newsletter para receber atualizações.

Tema: Animais
Subtema: Movimento
Faixa etária: 5 aos 10 anos
Técnicas artísticas: Pintura, desenho
Materiais: papel e lápis (você pode usar jornal, revista ou papelão, lápis de cor, giz de cera, pintura, aquarela ou qualquer outro material de arte que possa ter em casa)

Passo a passo
1) Convide as crianças a criar um desenho do seu animal favorito.

2) Depois de terminar o desenho, convide-os a olhar para a pintura abaixo. Neste ponto, NÃO mencione o título ou autor da pintura (você pode usar a imagem abaixo, clicar aqui ou imprimi-la, se possível).

Lion Hunt, by Kandisnky
Image: Solomon R. Guggenheim Museum, New York © 2018 Artists Rights Society (ARS), New York/ADAGP, Paris

3) Pergunte: “Como seu desenho é diferente deste [apontando para a tela]? Como é semelhante?”. As crianças podem mencionar o tipo de animal retratado, suas características, as cores. A intenção é deixá-las expressar suas ideias de forma bem livre.

4) Continue a conversa fazendo outras perguntas como “O que pode estar acontecendo aqui?”, “O que você percebe?” e “O que você vê que faz você dizer isso?”. Perguntas abertas como essas exigem mais que um “sim” ou “não” como resposta; elas fazem as crianças olharem para a pintura mais cuidadosamente, fazerem observações e inferências e buscarem informações.

5) A conversa pode continuar com mais perguntas abertas como “O que poderia ter acontecido antes disso?” e “O que acontecerá depois?”. Ouça as ideias das crianças e reconheça suas respostas. Fique à vontade para formular outras perguntas a partir dos comentários delas.

6) Após as crianças discutirem todas as hipóteses delas sobre a situação que pode estar sendo retratada na tela, pergunte: “Que título você daria a esta pintura?”. Ouça e reconheça as respostas, reafirmando o que elas dizem, por exemplo, “Ah então você acha que eles estão brincando”. Talvez seja a hora de questionar mais uma vez: “O que faz você dizer isso?” – esta é a pergunta “número um” para incentivar as crianças a apresentarem e construirem seus argumentos.

7) Agora é hora de revelar um pedacinho de informação sobre a tela. Você pode dizer “O título desta pintura é Caça ao Leão”. A idéia aqui NÃO é confirmar ou corrigir as ideias das crianças, mas sim manter a conversa, incentivando-as a procurar respostas a partir da observação e a articular seus pensamentos. Elas podem ter antecipado o título ou a temática, podem ter dito algo completamente diferente ou podem comentar algo como “isso não parece uma caça ao leão!” – isso não importa. O principal objetivo é envolver as crianças em uma discussão sobre o trabalho, os procedimentos usados pelo artista e também oferecer uma oportunidade de desenhar e criar.

8) Convide as crianças a voltar aos desenhos. Elas podem estar interessadas ​​em refazê-lo ou incorporar novos elementos ao desenho anterior. Dê um tempo para elas. Para finalizar, vamos brincar um pouco com os movimentos dos animais. Você pode dizer: “Que movimento o animal que você desenhou faz?”, “Você consegue imitar?” ou “Você consegue imitar seu animal favorito?”. Muitas adaptações para este jogo são possíveis. Você pode convidar as crianças a adicionar ruídos e sugerir que uma imite o animal da outra e assim por diante. Para quem conhece yoga, é possível terminar com asanas inspiradas em alguns animais: vaca, gato, cachorro virado para baixo, águia, leão e por aí vai …

Compartilhe seus comentários e as criações dos pequenos nas mídias sociais ou pelo email info@artexplorer.net.